sexta-feira, 9 de junho de 2017

Roteiro pela França - aos 77 anos


A vida é uma coisa muito engraçada mesmo. A gente vai ficando mais velha, vai tendo algumas limitações e vai tomando certas resoluções. Tanto que agora, aos 77 anos, tinha resolvido não mais viajar ao exterior. Longe, comidas e línguas diferentes, muitas caminhadas... Melhor ficar pelo Brasil mesmo. Já conheci o suficiente "lá de fora"!

Mas eis que minha neta vai estudar na França. Mais precisamente na charmosa cidade de Valenciennes. E eis que minha filha (mãe da neta) resolve ir visitá-la e me convida. Como recusar? ...e esqueço a idade, os pequenos achaques, compro um CD de lições de francês, aprendo o básico - basicão mesmo! - aviso a minha fisioterapeuta, a minha acupunturista (sei lá como volto!), tiro minha malinha do armário, minhas poucas roupas de frio, casacos emprestados (sempre há quem os empreste) e... Lá vamos nós!

 E não me arrependo. Que passeio maravilhoso! 💗💗


Chegamos a Paris, onde passamos uns dias. Dali, fomos passar uma semana em Valenciennes, no norte da França, onde está morando a neta! Em seguida, fizemos um tour pela Franca, passando primeiro por Bruges, na Bélgica. De lá, viajamos um dia inteiro pela França, até Dijon. Após um dia fizemos uma curta viagem até a encantadora cidade de Annecy, pertinho da fronteira com a Suíça. 

Nossa viagem prosseguiu então para Barcelona, na Espanha. Na volta ainda tivemos chance de passar por Bordeaux, Fougeres, com seu lindo parque natural, fomos ao maravilhoso Mont Saint-Michel e muitas charmosas cidades, cada uma mais encantadora que outra, com seus castelos, comidas típicas deliciosas e povo muito, muito acolhedor.   

Jardins de Monet  


E as flores? Ah, as flores, um capítulo à parte. Principalmente porque chegamos na primavera. Ainda meio frio, mas os casacos emprestados dando conta do recado. E como amo demais as flores, quero me estender aqui um pouquinho sobre a visita à casa e aos jardins de Monet. Um deslumbramento!!

A casa em estilo bem campestre, com fotos, quadros, mobília e a presença quase palpável do grande pintor. Os jardins um show de cores das mais sutis às mais vibrantes. Canteiros imensos de tulipas, rosas, crisântemos, gladíolos e muitas outras variedades.

Um riacho cortado por pontes e um lago onde boiam os nenúfares.  Toda a exuberante beleza que um dia serviu de motivo e inspiração para os quadros do maravilhoso artista. Passei uma tarde inesquecível vendo e respirando toda aquela maravilha. Agora em minha sala tenho 2 gravuras: dois instantâneos dos jardins, captados por Monet. De material foi o que sobrou da viagem. Mas de imaterial, sobrou a recordação destes momentos que vivi em companhia de minha filha e minha neta e que nunca mais se apagarão de minha memória.

        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!