terça-feira, 7 de junho de 2016

O melhor portal chinês fora da China está no Brasil


Texto e Fotos: Vitória Paiva

Sim! Essa é a Vista Chinesa, localizada no Parque Nacional da Tijuca, no bairro Alto da Boa Vista. Uma ida à vista não fica de fora dos passeios obrigatórios no Rio, que vai muito além de Pão de Açúcar ou Cristo Redentor. Ao contrário das atrações já conhecidas mundialmente, a Vista Chinesa tem acesso gratuito. Viu como você pode sim se divertir e conhecer o Rio sem muito investimento financeiro? A estadia na cidade é cara? Sim – ainda mais em anos de Copa do Mundo e Olimpíadas. Mas há pontos turísticos, além das praias, que podem ser visitados gratuitamente ou a preço baixo, como o Museu do Amanhã .

Da Vista Chinesa (apenas uma vista com uma mesa), que fica num mirante a 380 metros de altura, tem-se uma vista privilegiada e panorâmica para a cidade. Apesar da subida íngreme, chegar até lá não é nada difícil. De carro, basta seguir pela Rua Pacheco Leão, no Jardim Botânico, e acompanhar as placas para o Parque Nacional da Tijuca. Não há transportes coletivos que chegam até lá, mas você pode descer no bairro Jardim Botânico e pegar um táxi até a vista. 

Há também como chegar a pé ou de bike. O local é muito – mas muito mesmo – utilizado por atletas, que não medem esforços para pedalar, caminhar ou correr até o topo. A pé a subida deve durar umas três horas. De bike um pouco menos. Mas haja disposição!

Se você não está acostumado a fazer passeios dessa maneira, carro é a melhor opção. A subida, de carro, dura apenas 10 ou 15 minutos. A estrada é pavimentada e muito boa, onde se pode ter um bom contato com a natureza, já que ela é toda cercada pelas árvores do parque da tijuca.

Logo no começo da subida para a vista há duas cachoeiras abertas ao público: a cachoeira da Gruta e a dos Macacos. Mas o ruim é lugar para estacionar. Na vista há espaço para estacionar durante a subida.

O mais interessante no lugar é ver os pontos turísticos cariocas – como Lagoa Rodrigo de Freitas, Cristo Redentor, Morro Dois Irmãos, Pão de Açúcar e, até mesmo, as praias de Ipanema, Leblon e Arpoador – de outro ângulo, com uma visão privilegiada (tipo camarote mesmo). Por isso, um dia limpo – sem nuvens, chuva – é mais aconselhável para uma visita nota 10. Mas fomos em um dia nublado, como podem ver nas fotos, e encontramos o lugar cheio de turistas. Só a visão que pode ser diferente da de um dia aberto.

Subindo mais um pouco depois da Vista, chega-se à Mesa do Imperador, um local de repouso, hoje utilizado para piqueniques, da Família Real em passeios na cidade.  “Foi nessa mesa que D. Pedro I, quando desejava uma refeição em meio a uma das mais belas vistas, saía de sua residência na Quinta da Boa Vista e, com sua charrete, seguia em direção à Estrada da Vista Chinesa” (Fonte Posto Zero).

Origem


Mas por que uma Vista Chinesa no Rio de Janeiro ou no Brasil? Simples. O local foi construído em 1903 para homenagear chineses que trouxeram cultivo do chá para o Brasil (amantes de chá, agradeçam aos chineses!). Toda a projeção imita bambus e para lembrar a construção chinesa há o formato hexagonal e dragões no topo do “teto”. É uma obra muito bonita e diferente das que vemos pelo Brasil. Está aí o motivo para tanta popularidade dessa maravilhosa vista!




Um comentário:

  1. Que interessante? Nunca pensei neste passeio mas agora me deu vontade de ir.

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!