domingo, 14 de fevereiro de 2016

Roteiro no sul do Chile - Região dos lagos e vulcões

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Não tenho motivos muito fortes para escolher os destinos a visitar. Basta parecer interessante e caber dentro do bolso. E não gosto de muitas voltas mirabolantes para chegar até lá... 

Sobrevoo da Cordilheira dos Andes
As passagens para Santiago do Chile cabiam em nossas milhas. Mas queríamos ir adiante: o sul do Chile, na região dos lagos e vulcões (it sounds good!) parecia atraente. Lugar novo para conhecer. Por que não?

Voamos desde o Brasil para o Chile em um voo Guarulhos-Santiago da GOL. Utilizamos 20.000 milhas do programa Smiles para cada bilhete. Em outro post contarei com detalhes as vantagens de voar pelo aeroporto de Guarulhos (uma opção boa para quem vive no meio do caminho entre Rio de Janeiro e São Paulo).

IBIS Estación Central: opção básica e segura em Santiago
Ficamos uma noite em Santiago, no hotel IBIS Estación Central. Pela tarifa em conta e pela localização, que apesar de ser no centro da cidade, fica mais próxima ao Aeroporto Arturo Merino Benitez, de onde teríamos que sair no dia seguinte em um voo da TAM/LAN, com destino a Puerto Montt, no sul do Chile. Este bilhete, por ser mais barato, não valeria a pena tirar com milhas. 

Chegando ao Aeroporto El Telpual, em Puerto Montt, alugamos um carro pela Alamo e de lá fomos para Puerto Varas, onde nos hospedamos no Hotel Weisserhaus, por cinco dias. Na verdade, trata-se de uma linda pousada de administração familiar, localizada bem no centro da cidade. De Puerto Varas ganhamos o mundo em pequenos passeios diários. 

Hotel Weisserhaus
Por isso foi uma boa ideia alugar um carro para toda a temporada na região dos lagos e vulcões. Este foi um ponto que ponderamos muito antes de sair do Brasil. Alguns amigos que foram para o sul do Chile, contaram que não fez falta alugar um carro. Coloquei na ponta do lápis a diferença entre aluguel de carro e transfers em todos nossos percursos para duas pessoas. A diferença foi mínima. Mas quando chegamos lá, percebemos que de carro tivemos muito mais autonomia e conforto nos passeios. Isso levando em conta que os ônibus locais, além de terem horários espaçados entre uma e uma hora, eram pouco confortáveis e estavam sempre cheios (considere que fomos no verão, alta temporada). Outros programas como a subida ao vulcão Osorno, se não for feita com carro próprio,
Alugar um carro nos deu muita autonomia
tem que ser feita através de vans ou ônibus contratados com agências de turismo. Preferimos poder fazer nossos horários e viajar de forma privada, parando quando e onde bem entendessemos. Dirigir na região é muito fácil, já que as vias são de simples acesso e o fluxo de veículos é pequeno. Mas se você não dirige, não tem facilidade em alugar um carro, não se preocupe, pois sem carro também tudo é viável por lá.

A ideia de hospedar-se em Puerto Varas, para quem quer visitar as localidades no entorno do lago Llanquehue, é muito razoável. Já que a cidade é charmosa, tem boa infra-estrutura de restaurantes, pousadas, agências de turismo e comércio. Além de estar mais centralizada no mapa dos passeios. Fica a aproximadamente meia hora de Puerto Montt (que não é uma cidade muito aconchegante - fomos lá apenas para checar o Mercado Angelmo e o shopping, pela vista dos fiordes.   Comentei em outro post sobre este programa.), onde chegou o nosso voo proveniente de Santiago. Puerto Varas fica a aproximadamente 60 quilômetros do vulcão Osorno, de Ensenada, Petrohue, Lago todos los Santos... E de Frutillar mais uns 30 minutos por um lindo caminho que contei aqui no blog.

Belas paisagens ao redor do lago Llanquehue

Sobre gastronomia, come-se muito bem na região. Principalmente frutos do mar, com deliciosos pratos a base de salmão, camarão, centolla (o caranguejo gigante de águas frias) e a merluza, que é muito bem cotada por lá e diferente da brasileira. Dei uma atenção especial em outra matéria para essas maravilhosas comidas chilenas.

Puerto Varas - praia do lago Llanquehue com Osorno ao fundo
O artesanato local remonta às tapeçarias do período pré-colombiano. No sul do Chile trabalha-se muito com as lãs coloridas, com tramas semelhantes ao tricô. O destaque fica para as bonequinhas de lã, que podem ser encontradas por todo o lado. Fora isso há também muitas peças em madeira e couro.

As cinco noites passadas na região foram mágicas. Superaram muito nossas expectativas para o lugar. Os vulcões exercem certa magia em meu imaginário. Estavam lá os principais: o Osorno (ligeiramente adormecido) e o Cabulco, com sua fumacinha branca, atemorizando a distância. De qualquer lugar da região dos lagos Llanquehue e Todos los Santos, ambos são avistados. E os lagos não ficam atrás, encantando diariamente pela sua beleza.

Parque Arauco - Santiago do Chile
De lá, retornamos para Santiago, onde aproveitamos para passar mais três noites. Desta vez optamos pelo IBIS Manquehue Norte, que fica no elegante bairro de Las Condes. O hotel fica bem localizado próximo ao Parque Arauco, Shopping Arauco e tem metrô e casa de câmbio bem ao lado. Nesses dias visitamos atrações que ainda não conhecíamos e de quebra vivenciamos um terremoto de 4.3 graus na escala Richter. Nada demais para os chilenos!!! Em outra matéria falarei sobre essas experiências.

Para ler todos as matérias sobre o Chile, clique aqui.

Se tiver alguma dúvida ou comentários que possam ajudar outros leitores, não hesite em entrar em contato.

2 comentários:

  1. Oi Adriana, tdo bem com vc?
    Ak é a Aninha😊
    Estou passando para contar que li seu livro é amei 😍😍
    A Puny é muito engraçada 😅😅
    Mto obrigada pelo carinho!
    Bjinhos Anna Clara. 😘

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aninha! Que bom saber que você gostou do livro! Adorei a surpresa da sua visita aqui no blog! Obrigada pelo seu carinho! Bjs, Adriana

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!