sábado, 9 de maio de 2015

Conheça Morro de São Paulo, BA

Aprecio muito o privilégio de ser a primeira leitora das encantadoras histórias das viagens de férias dos colaboradores do Viajando com Puny. A cada relato lido, acalento o sonho de um dia poder conhecer novas paragens. E baseada neste post, decidimos conhecer esta maravilhosa ilha. Realmente é tudo que a Ana Cristina Barbosa Pinheiro de Souza, quem nos dá o prazer de poder viajar um pouco com ela, conta no texto abaixo. Confira!


Praias maravilhosas em Morro de São Paulo

Por: Ana Cristina B. P. de Souza

Táxi na chegada do catamarã

“Já tinha ido à Salvador várias vezes e sempre me falavam de Morro de São Paulo, mas nunca me animava a ir, devido a viagem de Catamarã, da qual ouvia vários relatos de gente que passou mal por conta dos balanços do barco em alto mar.

Ano passado me empolguei, tomei coragem e decidi conhecer esse maravilhoso lugar. Embarquei no sábado após a quarta-feira de cinzas, quando eles têm em Morro de São Paulo a famosa “Ressaca de Carnaval”.

O percurso de duas horas entre Salvador e Morro é feito no Catamarã, que parece com a Barca Rio-Niterói, e é bastante confortável. A ida foi maravilhosa e aproveitei para curtir a vista e aquele mar azul fantástico bem lá na frente da embarcação. A viagem é emocionante! Longe da Salvador tudo que vemos é uma imensidão de água e nada mais em volta.

Quando nos aproximamos da Ilha de Tinharé, já pudemos avistar o Forte, um lindo Farol e os coqueiros de Morro de São Paulo.
Praça na entrada da cidade

O nome “Morro” não é por acaso. Quando desembarcamos na ilha já encontramos vários rapazes com “carrinhos de mão” ou “táxis”, como são conhecidos, para transportarem nossas malas morro acima. Esse transporte custa no mínimo R$10,00, dependendo do peso, e se quiser aproveitar e subir sendo carregado é R$1,00 por quilo, dizem os moços... rsrsrs. Uma curiosidade: o tráfego de automóveis é proibido na ilha. O deslocamento entre as praias é feito também pelos “táxis-charretes”.

Quando chegamos ao topo ficamos deslumbrados com a vista maravilhosa das praias. Confesso que entre uma foto e outra me perguntava por que, durante esse tempo todo, ainda não tinha visitado aquele lugar.
Vista das praias logo na chegada

Morro de São Paulo é um dos destinos mais procurados na Bahia e é um verdadeiro paraíso. Possui apenas quatro praias exploradas, mantendo sua natureza intocada em alguns pontos. As praias são conhecidas por números, sendo assim, na Primeira Praia e na Segunda Praia, o burburinho rola solto, com bares, restaurantes que servem de comida caseira à comida Japonesa. Além de receber turistas de toda parte do mundo, que procuram aventura e badalação. Na Terceira e na Quarta Praia encontramos um clima mais tranquilo, cercado de recifes com piscinas naturais de águas transparentes e mornas, perfeitas para boas caminhadas e a prática do mergulho.

A hospedagem não é tão barata, mas consegui a Pousada Tapirandú, na Segunda Praia, onde fiquei instalada com conforto, bom café da manhã e no melhor local de restaurantes, lojinhas e baladas. Além disso, o portão da pousada sai na areia da praia com aquele visual sensacional do mar.
Lagosta do Marylin

Quem quer luxo deve se hospedar no Patachocas Eco Resort, onde passei somente um dia curtindo piscina e um delicioso almoço com bobó de camarão e fiquei me sentindo “a cara da riqueza”!

Comparei Morro com a nossa Maringá (RJ/MG), só que com praia. O lugar é rústico, mas charmoso, com gente bonita, muitos gringos, dentre eles argentinos e israelenses.

Os restaurantes são maravilhosos, com culinária diversificada, mas destaco uma deliciosa lagosta que saboreei no Restaurante Marylin.

A vida noturna é animadíssima com música ao vivo em vários bares, restaurantes e boates e ainda tem a Toca do Morcego de onde se pode ver o por do sol e ficar para um happy hour com Dj e muita dança.
Barraca de Caipifruta

Interessante, também, é ver na orla a variedade de barracas de Caipifruta montadas todas as noites, de forma criativa e colorida com a diversidade de frutas atraindo a atenção de todos.

Enfrentei a volta (sem passar mal) no mesmo Catamarã, mas o retorno não foi tão agradável, pois o barco balança demais indo contra a maré e muitos passageiros tem indisposição durante a viagem (não era lenda!).

Recomendo para quem tem medo do agito do mar ou passa mal com maresia, que opte por chegar a Morro de São Paulo de avião (com saída da capital baiana), ou então, vá de carro ou ônibus até Valença (BA) e dali siga em um barco ou uma lancha até a ilha.

O que posso garantir é que qualquer sacrifício será recompensado pelas belezas naturais e a energia contagiante que Morro oferece.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!