quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Roteiro de 4 dias em New York

 
Praça comunitária
Desde setembro passado, não comentei com detalhes os cinco dias que passamos em New York. Foi tempo suficiente para curtir muitas coisas, sem gastar muito, na cidade que não para nunca. Hospedagem em NYC é artigo caro. Em outro post dou detalhes sobre o roteiro completo da viagem, que incluiu cidades americanas e canadenses.
 

Dia 1 - Chegamos à cidade pela manhã, em um Domingo de Setembro. Temperatura agradável pela manhã e quente durante o dia. Sirenes de carros de polícia, carros de bombeiros e ambulâncias soando constantemente comprovavam que chegamos a New York!

Ficamos no Holiday Inn Express Manhattan West Side, em uma rua tranquila, com praças comunitárias encantadoras e a apenas duas quadras de Times Square – o coração da Big Apple. No primeiro dia, cansados do voo, aproveitamos para andar pelos arredores.
Hot dog no parque
 
Começamos pelo Hell's Kitchen Market, mercado de pulgas que funciona aos Sábados e Domingos, com grande quantidade de barracas de antiguidades, artesanatos e quinquilharias diversas. Dali, seguimos para um Dean & Deluca, para um snack no coração da cidade.

Destaco a Biblioteca Pública de NYC que fica ao lado do Bryant Park. Escolhemos o Domingo para ir lá, pois além de poder visitar a biblioteca, que conta com um acervo riquíssimo e muito bem organizado, aproveitamos a manhã no parque nos divertindo e observando os nova-iorquinos em seus hábitos de fim de semana. E, como eles, também relaxamos na praça, tomamos sorvete e comemos hot-dogs.  Aproveitando a proximidade demos uma passada no Rockfeller Center e na St. Patrick Cathedral (460 Madison Avenue), que ainda estava em obras. Andamos a toa pela 5ª Avenida e fomos bisbilhotar a Broadway. Acabamos o dia na iluminada e ofuscante Times Square.
Saguão do Metropolitan Museum
 
Dia 2 - No dia seguinte, ainda a pé, seguimos para o lado do Upper West Side, com prédios antigos, imponentes e com bonita arquitetura. Caminhamos até o History Natural Museum. Cruzamos o Central Park - lindo em qualquer época do ano - para chegar ao Metropolitan Museum. A loja do museu já vale a visita!
 
Retornamos desta vez pela área chique do Upper East Side, passando pelo Zoo do Central Park. Com reserva feita, chegamos ao restaurante Sarabeth’s (Central Park South, 40). O cardápio não é muito barato, mas optamos pelo menu prix fix
Final US Open de Tênis
lunch que funciona até às 15:30h e serve por 30USD uma entrada, um prato principal e a sobremesa. Muito bom! A comida é gostosa e o ambiente bacaninha! O ponto alto do dia foi a final da US Open de Tennis, no Arthur Ashe Stadium. Fomos até lá de metrô. Programa excelente, apesar dos nossos favoritos não terem disputado a final.
 
Dia 3 – Neste dia partimos para o passeio turista básico. Fomos visitar o memorial do World Trade Center (Torres Gêmeas) – Ground Zero, que ainda não conhecíamos. Da última vez em NYC as torres ainda estavam de pé, por isso o impacto foi grande. Curioso foi visitar a capela de St. Paul, que serviu como base para todos que trabalharam nos resgates do atentado de 11 de setembro de 2001. Ali encontramos algumas indumentárias, móveis, bilhetes e lembranças
Memorial World Trade Center
de muitos que trabalharam nos resgates e buscavam alívio e relaxamento na igreja. A área está sendo toda revitalizada. Foi inaugurado recentemente um dos novos prédios WTC. No lugar das torres construíram duas piscinas gigantescas, com cascatas contínuas, tudo em mármore preto onde estão grafados os nomes de todos que morreram no atentado. Lembra uma grande lápide.
 
Desde o memorial até a área portuária, pela Broadway, é um pulo! Em  Seaport pode-se pegar o ferry-boat ou apenas admirar a Estátua da Liberdade. A área portuária onde fica o famoso Pier 17 foi revitalizada e agora é amiga dos pedestres e ciclistas, que contam com calçadões, ciclovias e áreas de repouso,  de onde se avista a Brooklin Bridge, que liga a ilha de Manhattan ao bairro do Brooklin.
 
Para fechar o dia demos uma passada na 46th St., a famosa rua dos brasileiros, com seus bons restaurantes. Bateu saudades de um arroz com feijão!

Dia 4 – Como acordamos cedo, nossos dias rendem! Tão cedo que às vezes o comércio ainda está abrindo. Tomamos um táxi do hotel até o High Line. Encantador! Aproveitaram bem os antigos trilhos suspensos de trem transformando o lugar em áreas de lazer. Criativo! Porque não fizeram isso com a antiga perimetral do Rio
Marys Fish Camp: melhor sanduíche de lagosta
de Janeiro?


Abaixo de High Line está o Chelsea Market. Tínhamos acabado de tomar café da manhã e não pudemos aproveitar as maravilhas gastronômicas do mercado: cafés, restaurantes, bistrôs e outras lojas de alimentos e decoração.
 
Seguimos para cumprir mais um ritual gastronômico: experimentar o famoso e delicioso sanduíche Lobster Roll, que combina suculentos pedaços de lagosta do Maine cozida com maionese artesanal levinha, servida com batatas fritas crocantes. Anotem: Mary’s Fish Camp (localizado na West Street, esquina com Charles St. 64), no Soho. O sanduíche não tem preço pré-fixado. Varia de acordo com a cotação da lagosta. O lugar é simples, o sanduíche é caro. Apesar do preço é uma tentação!
 
Little Italy
Indo até Bleecker Street há lojinhas, cafés e bares descolados. Washington Square Park  é uma boa parada para descanso. O Soho está muito bacana. Tínhamos considerado nos hospedar por ali, mas baseados em experiência na cidade há algumas décadas, ficamos inseguros. Mas NYC mudou muito. Está mais segura, bem arrumada e bonita. Fomos até Chinatown fuçar as lojinhas locais. Há alguns restaurantes, mas bom mesmo para comer, logo adiante, seguindo a Broome Street, é Little Italy. A perdição dos gulosos! Massas, cafés e doces italianos. Iguarias sem fim. A preços módicos, se comparados com os praticados em New York. Come-se bem em Little Italy.
 
Dia 5 – Neste dia arrumamos nossa bagagem, saímos do hotel direto para o porto de Cape Liberty, em New Jersey, e zarpamos em um navio rumo ao Canadá.
 
O roteiro descrito acima foi minuciosamente elaborado permitindo visitar o máximo da cidade em um tempo mínimo.
 

2 comentários:

  1. Adriana, precisamos montar um roteiro de 28 dias para o EUA. Conto com a sua ajuda e experiência. ;) Adoro esse blog. Bjoss ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só hoje respondendo aqui... é que ficamos tão envolvidos com o planejamento que nem lembrei de postar aqui! Mas o que importa é que sua viagem foi um sucesso!!

      Excluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!