domingo, 13 de abril de 2014

Encomendas de viagem

Por: Adriana Aguiar Ribeiro
 
Quando você viaja pela primeira ou pela segunda vez, tudo é novidade e você nem percebe uma coisa: o inconveniente das famosas encomendas da família e dos amigos. Mas com o tempo você descobre que isso pode ser um grande empecilho para você curtir como deve o seu passeio.

O mais difícil é explicar isso para quem aproveita sua ida a determinados lugares para fazer as "encomendinhas", muitas vezes deixando você mal com o amigo ou familiar. Aí você entra em uma tremenda saia justa! Mas saiba que você não é o único a passar por isso... Como vai lidar com a situação é uma coisa muito pessoal. Depende de cada um!

Por isso, listo aqui alguns argumentos:

• Quando você está viajando, qualquer peso extra na bagagem soma como peso morto a carregar;
• Muitas vezes você não consegue ir ao lugar onde encontrará o objeto solicitado e fica se preocupando pensando se o encontrará em outro lugar. Quando férias é o momento de relaxar, de não ter preocupações;
• Quando você traz encomendas, aumenta a sua responsabilidade sobre a bagagem que está carregando;
• Se você faz uma viagem de lazer, seu tempo é muito precioso, por isso deve ser todo voltado ao relaxamento;
• Muitas vezes você não quer habilitar o cartão de crédito e as pessoas fazem pedidos sem se preocupar em adiantar o dinheiro para você;
• Quando você aceita trazer encomendas de várias pessoas, você pode acabar comprometendo o valor da cota permitida para os produtos importados;
• Certos pedidos sozinhos são tão despropositados que comprometeriam a sua cota total de produtos importados permitidos a trazer;
• Quem pede alguma coisa sempre imagina que é a única pessoa encomendando algo ao viajante. Quando muitas pessoas pensam assim e você acaba com uma longa lista de solicitações.

Por isso, para quem costuma fazer encomendas, recomendo que evite ao máximo pedir alguma coisa a quem vai viajar. É uma questão de bom senso. Afinal a pessoa está saindo para se divertir! Só aceite mesmo quando o viajante (que deve ser muito íntimo – tipo filho ou pai e mãe) oferecer trazer algum produto que você não encontra de jeito nenhum no Brasil e que tenha embalagens de tamanho mínimo. Avise sempre que não precisa se procurar com aquilo. Só deve ser comprado caso o viajante esteja no local onde o produto é facilmente achado. Ah, e lembre-se de adiantar o valor em cash, na moeda local de onde será comprado o tal produto. Mas bom mesmo é não pedir nada ao viajante!

Um toque: algumas pessoas viajam com o objetivo estrito de consumir, mas é bom também cultivar outros hábitos ao viajar. Acima de tudo, a viagem é uma forma de adquirir mais conhecimento e cultura, além de permitir o relaxamento e lazer. Tudo bem se a gente descobre coisas incríveis e diferentes para comprar, mas é bom evitar que tenhamos apenas esse objetivo e lembrar que na vida existem coisas muito mais saudáveis a fazer!
 

Um comentário:

  1. Parabéns.Muitíssimo apropriado. Espero que os"encomendadores" tenham oportunidade de ler isto.

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!