quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Visby, capital da ilha sueca de Gotland

Por: Adriana Aguiar Ribeiro

Feira e ruínas de St. Nicolai

Essa mania de acordar cedo para aproveitar ao máximo a viagem sempre nos leva às cidades adormecidas, com raios de sol dourados. Assim encontramos Visby, capital de Gotland, a maior ilha do Báltico e pertencente à Suécia. Terra dos Vikings e abrigo de aproximadamente 90 igrejas medievais, a cidade de Visby é caracterizada pelas muralhas que circundam a cidade, com aproximadamente cinco quilômetros pontuados por torres. Uma construção de pedras que se mantém praticamente intacta.

Chegamos pelo porto e, rapidamente, através da indicação de placas e mapas urbanos, encontramos a rua principal, que nos levou ao centro da cidade. Subimos por ladeiras, encantados com o charme dos prédios de arquitetura medieval, com suas casas e comércio repletos de jardineiras floridas. A maioria das ruas, completamente tortas e mal orientadas, é arquitetura dos vickings, que assim construíram a cidade no intuito de enganar e dificultar a invasão pelos inimigos. No topo da cidade fica o centro, com uma avenida larga, calçadão, supermercado moderno e praça. Um contraste com a cidadezinha mal desenhada e suas casinhas aconchegantes e coloridas. Lá no topo encontramos uma locadora de bicicletas e um trenzinho. Parte de nós optou pelo passeio de bike e outra pegou o trenzinho que fez um tour, descendo até a praia e subindo novamente para o centro, tudo ao longo da maravilhosa muralha que circula a cidade. 
Fiskargrand Lane

Retornamos em direção à praia, a pé, descendo pelas ruas tortas, visitando igrejas medievais, uma feirinha e a famosa Rua dos Pescadores, com parada para deliciosa torta com geleia, acompanhada de um delicioso capuccino. Retornamos ao navio de barco. Visby não tem porto para atracação.
Visby é ensolarada, cativante e fácil de conhecer! Um dia de verão nesta capital, com seu clima ameno, é encantador!

O que visitar: Klinttorget, uma pequena praça localizada no topo da cidade rodeada de casinhas. A Viking House, que atualmente é a única construída nos padrões vikings existente na ilha. Como os Vikings viviam em conquistas, pouco se estabeleciam em cidades. Fiskargrand Lane, traduzido como Rua dos Pescadores. Conta a história que, devido ao mau cheiro do comércio de pescados no local, os moradores começaram a plantar rosas para melhorar o odor. Atualmente a rua é um destino turístico pela beleza das rosas debruçadas sobre as casas. Gotlands Museum – rico museu sobre história Medieval. St. Nicolai ruin – esta igreja medieval está localizada dentro da cidade murada.
O que levar: o chá Guteblandning é típico da ilha e é uma mistura deliciosa!

2 comentários:

  1. Que linda esta cidadezinha! Um dia quero ir também para estas bandas.

    ResponderExcluir
  2. Opi, é uma ilha escondida que precisa ser descoberta!!

    ResponderExcluir

O que você achou desta matéria? Compartilhe aqui sua experiência com outros leitores!